Blog Master Imóveis

Imobiliária em Passo Fundo

Rentabilidade do aluguel chega a ser o dobro do percentual de outras aplicações com Taxa Selic baixa

Rentabilidade do aluguel chega a ser o dobro do percentual de outras aplicaes com Taxa Selic baixaEnquanto títulos muito comuns como poupança e CDI estão com rendimento na casa de 0,13% e 0,19% ao mês, em média, aluguel possui rentabilidade estimada em 0,40% ao mês

A taxa de juros básica do Brasil, a Taxa Selic, atingiu em meados de junho um novo percentual histórico de baixa, fixado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) em 2,25% ao ano. Desta forma, o país vivencia sua taxa de juros mais baixa da história, assim como já vinha acontecendo desde de 2019, quando o Copom iniciou a tendência de baixa dos juros e que, neste momento, em razão da pandemia de Covid-19, foi intensificada.

No entanto, essa tendência de baixa, conforme relatório apresentado pelo Copom, indica que o ciclo deve estar chegando ao fim. Conforme o documento, na próxima reunião a expectativa é de haver a possibilidade de mais uma queda de 0,25% e, após, manutenção dos patamares ou o início de uma fase de altas.

Como uma Taxa Selic baixa impacta minha vida?
A Taxa Selic baixa impacta diariamente e diretamente a vida de muitas pessoas de variadas formas, entre elas, no rendimento do seu investimento. Muitas aplicações usam indicadores de rendimento que tem base na Taxa Selic. Assim, quanto mais baixo o percentual da Taxa Selic, menor é a rentabilidade da aplicação.

Isso ocorre por exemplo com a poupança, que atualmente paga 70% da Taxa Selic mais a Taxa Referencial, a TR, que no momento está zerada. Na prática, isso representa um rendimento médio mensal de aproximadamente 0,13%.

O CDI possui uma taxa muito próxima a da Selic e sua variação própria é quase inexistente, seguindo as variações da própria Selic. Atualmente, o CDI está cotado em 2,15% ao ano e considerando uma aplicação que pague, por exemplo, 110% do CDI depois do seu término, isso representará um rendimento mensal na casa dos 0,19%.

Outra aplicação muito comum é o chamado CDB (Certificado de Depósito Bancário), que, no geral, também usa como base o CDI para estipular a taxa de rendimento sobre o valor aplicado e varia o percentual de acordo com os prazos e as opções escolhidas na hora de investir.

Vantagens de uma Selic baixa no mercado imobiliário

Por outro lado, uma Taxa Selic baixa representa juros mais baixos e, consequentemente, crédito mais barato. Considerando a Selic em seu menor patamar histórico e a previsão do ciclo de reduções estar se encerrando, o momento atual é apontado como ótimo para a realização de investimentos imobiliários, já que as parcelas do financiamento (meio mais utilizado para a aquisição de imóveis no país) tendem a ser mais baixas.


Rendimento do aluguel
Além de impactar no acesso ao crédito, a Taxa Selic baixa deixa as aplicações de renda fixa (que falamos aqui anteriormente) menos atrativas. Como já citamos, a poupança está atualmente com um percentual de rendimento médio mensal na casa dos 0,13%. Já o CDI possui um rendimento mensal médio de 0,19% sem contabilizar os custos da operação e Imposto de Renda, quando há. Esses percentuais são considerados baixíssimos e nada atrativos para investimento.

Diante disso, outro tipo de investimento vem se sobressaindo é o aluguel. Conforme a tabela FipeZap, que monitora o preço médio do valor dos imóveis e dos alugueis em várias cidades do país, em maio deste ano a rentabilidade do aluguel de imóveis residenciais estava cotada em 4,86% ao ano, ou 0,40% ao mês. Já a rentabilidade do aluguel comercial foi estimada em 5,46% ao ano, o que representa um rendimento mensal médio de 0,45%.

Ou seja, o rendimento do aluguel supera o rendimento de rendas fixas comuns como poupança, CDI e CDB, em percentuais que chegam a ser o dobro maiores. Claro, o investimento em imóveis possui alguns pontos desafiadores como a necessidade de manutenção, impostos e o risco de vacância, mas que podem ser supridos diante da estabilidade que o mercado imobiliário possui. Ainda, a rentabilidade do aluguel pode ser ainda maior dependendo da localização do imóvel.

Além disso, a valorização dos imóveis nos pós crises no Brasil é grande e mesmo que a Taxa Selic volte a ter aumentos no médio prazo, eles não serão expressivos a ponto de alterar esse cenário tão rapidamente. Já que uma grande tendência mundial no pós pandemia será alavancar as economias e uma das principais formas para isso é deixar o crédito mais barato, que se dá através de taxas de juros baixas.

 




Usamos cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência. Ao navegar neste site, você concorda com a nossa Política de Cookies e Política de Privacidade.